Alice B. Toklas e Gertude Stein são um dos mais famosos casais femininos do panorama literário norte-americano. Stein conheceu Toklas em 1907, na Europa onde ambas residiram durante várias décadas e conviveram com gente como Picasso, Matisse, Braque, Ernst Hemingway ou Paul Bowles.  Na década de 30, Stein publicou as suas memórias sob o curioso título “The Autobiography of Alice B. Toklas” que se tornaria o seu bestseller. Viveram juntas até à morte de Stein em 1946. Em 1954, Alice publicou as suas próprias memórias: “The Alice B. Toklas Cookbook”. No livro, um misto de recordações e receitas de culinária, figura a célebre “Haschich Fudge” que ficaria conhecida  como “Alice B. Tokles Fudgies” e cujo ingrediente diferenciador é cannabis sativa: Os bolinhos cuja inclusão no receituário terá sido sugerida pelo multi-facetado Brion Gysin, tornou-se bastante popular junto dos então emergentes beatnicks, por razões óbvias.

Eis a receita:

“Junte uma colher de chá de pimenta preta, uma noz-moscada, 4 paus de canela, uma colher de chá de sementes de coentro e pulverize num almofariz.

Junte um punhado de tâmaras, igual medida de figos secos e amêndoas sem pele e amendoins, pulverize e misture.

Um molho de canabis deverá também ser pulverizado no almofariz e adicionado aos restantes ingredientes e bem misturado.

Acrescente uma chávena de açúcar misturado com manteiga. Enrole como uma torta e corte aos bocados ou, se preferir, molde a mistura em bolas do tamanho de uma noz.

Deve ser comido com cuidado. Duas unidades serão suficientes. Obter a cannabis poderá ser difícil… esta deverá ser apanhada e secada na altura em que a planta acabou de desenvolver as sementes, enquanto a planta se encontra verde.”

No extracto do filme “I Love You Alice B. Toklas”  de 1968, dirigido por Hy Averback e protagonizado por Peter Sellers, que anexo, os bolos são confeccionados de forma diferente mas julgo que o efeito será o mesmo.