7 de Junho
Banquete que deo o Duque

Este dia, deu o Duque hum banquete esplendedissimo aos Inglezes, que se affirma foy dos mais notaveis e mais ostentação que ha muitos tempos se deu: e para mais aparato mandou de fazer de comer em humas cosinhas fóra do seu páteo grande e se fês hum passadiço com quatro colunas de madeira de cada parte, cubertas de brocados com toldo por sima, para que passaram as iguarias por baixo, e a praça e terreiro se armou todo de muy ricas colgaduras para esta procição.
Fizeram-se três copas em treze cazas, huma que tomava toda a parede de alto a baixo, de degráos e da mesma maneira a parede fronteira para a prata, em que havia como 400 vazos, todos de invenção fermozissima, alem da plata ordinaria.
Na outra caza estava a baixella de ouro e esmaltes, tudo pessas notaveis, que ocupava meza e degráos de huma parede athe sima, cousa admiravel de ver: e na outra havia somente vidros e cristaes engastados em ouros, com pés, azas e coberturas de ouro e lavores por todo o corpo e os vidros de cores, couza nobilissima: de maneira que não sei que Rey da Christandade possa ter mais fermoza e mais rica baixella, a quem convem o que diz Ariosto:

Qual mensa tronfante, e sontuosa
Di qual si voglia successor di Nino,
O qual mui tanto celebre, e famosa
Di Cleopatra al vincitor latino,
Potria a esser questa par, che l’amorosa
Fata avea posta innanzi al Paladino?
Tal non cred’io, che s’apparechi dove
Ministra Ganimede al sommo Giove.

O Banquete se deu em huma galeria grande, armada de brocados, como as mais das cazas, onde puzeram 24 bofetes pelo meyo da caza para 80 peçoas, que comeram à meza com o Almirante, e com elle estando na sala muytos Senhores e titulares e muytas Damas e senhoras rebuçadas, que todos entraram com assás trabalho.
Estavam as mezas com guardanapos de figuras e o pão cortado de invençoens e os saleyros com toalhas de varias maneiras de flores e animaes, e os antes com flores, como selladas com castellos e lavores dourados e prateados.
Serviram á meza 24 pages do Duque, de libré para aquelle dia de negro, couras brancas e cadeas de ouro e Mestre salla, copeiro e mordomo e outros criados da mesma sorte.
Estiveram El-Rey e a Raynha vendo tudo por uma gelozia, que ficava defronte do topo da meza, escondidos e affirmam que serviram á meza 2:200 pratos de cozinha: o que mais foy para ver, os doces secos, os vidros de conservas, e, sobre tudo, a invenção de empadas de mil figuras, de castellos e navios, tudo dourado e prateado. (…)

In, “Fastigimia”, Thomé Pinheiro da Veiga, Imprensa Nacional-Casa da Moeda

Gravura: Abraham Bosse (c. 1602-1604 – Fevereiro 14, 1676)

Anúncios