Limpo está o chão agora e vazias as mãos e os copos
Colocam-nos grinaldas na cabeça. Oferecem-nos depois
frascos de perfumados unguentos. Na mesa está pousada
já a grande taça cheia de alegrias. Mais vinho está sendo
preparado nas suas ânforas    daquele que nos asseguram
jamais há-de ser ingrato. Eleva-se no ar o sagrado
aroma do incenso. fresca é a água   doce e cristalina
Há cestos com pães dourados    e na mesa digna de tal
banquete   queijos e mel. Ao centro está o altar coberto
de flores – o canto e a festa da casa se apoderam

Xenófanes

bacchanale

Bacanal em Andros, Tiziano Vecellio