Casanova

Pintura: Anton Mengs Raphael


(…) Cultivar os prazeres dos sentidos foi a minha grande preocupação na vida; na verdade, nada alguma vez foi mais importante para mim. Sentindo que nascera para o belo sexo, sempre o amei e deixei que ele me amasse o máximo possível. Amei também apaixonadamente a boa comida e todas as coisas que fazem despertar a curiosidade… Tendo sido um grande libertino, um conversador ousado, um homem que só pensava em ter prazer na vida, não me conseguia considerar culpado de nada. (…)

in ” A História da Minha Vida”, Giacomo Casanova, Chevalier de Seingalt